DIRETORA TÉCNICA MÉDICA:
DRA.MARIUTZKA ZADINELLO
CREMESC 9562 RQE 12418

Sopros cardíacos


SOPROS CARDÍACOS 

 

Dra. Mariana Parreiras

Especialista em Pediatra

Cremesc 13791 RQE 6871  

 

O sopro é um som produzido pela passagem de sangue  através das estruturas do coração. O médico, através da ausculta cardíaca, consegue detectar o sopro, que pode ser de dois tipos: “sopro inocente” que é um sopro dito funcional ou fisiológico e o “sopro patológico” que ocorre em decorrência de algum defeito no coração.

Cerca de 40-50% das crianças em algum momento do seu crescimento apresentam um sopro inocente, sem nenhuma outra alteração em exames cardiológicos e também sem nenhum comprometimento de seu desenvolvimento infantil. O sopro inocente parece ser decorrente da passagem do sangue pelas cavidades cardíacas em crescimento. Crianças com sopro inocente não apresentam sintomas, o coração é absolutamente normal e elas são liberadas para levar a vida sem restrições.

Já os sopros patológicos podem ser congênitos (a criança nasce com ele) ou adquiridos. Eles são ocasionados, basicamente, por defeitos nas valvas cardíacas, pela presença de orifícios entre as cavidades ou pela existência de alguma comunicação entre a artéria aorta e a artéria pulmonar (são dois grandes vasos sanguíneos diretamente relacionados com o coração).

Há casos em que somente a ausculta cardíaca não é suficiente para definir o diagnóstico e portanto é necessário encaminhar a criança para um especialista em Cardiologia Pediátrica. Geralmente, os exames que são necessários para se obter o diagnóstico diferencial do sopro patológico são o Eletrocardiograma (ECG), o Raio-X de tórax e o Ecocardiograma (ultrassom do coração).

O Ecocardiograma fornece detalhes da anatomia do coração e também informações sobre as características funcionais, ou seja, como o coração está funcionando. Dependendo da idade e da situação da criança este exame pode necessitar uma leve sedação para ser realizado.

Para a grande maioria das cardiopatias congênitas o tratamento é cirúrgico. Porém, não é indicado quando o problema for pequeno e sem maiores repercussões para o coração. O acompanhamento médico é sempre fundamental.

Não se apavore com o diagnóstico de sopro cardíaco no seu filho. Lembre que na grande maioria vezes este sopro é fisiológico e desaparecerá espontaneamente.

Converse com seu Pediatra e se este assim achar necessário, procure um especialista.